Contos, livros e poesias

Caminhos Errantes

” Fugindo de um amor desenfreado e perigoso eu estava, mas no meio da estrada,

Ao entrar em uma rota diferenciada, acabei me perdendo em um amor platônico,

Onde apostei não só meu coração mais também minha própria liberdade,

Chegado ao destino de minha caminhada,

Estava eu com o coração quebrado e machucado por meu amor não ser reconhecido e valorizado.

No fim, não difícil perceber que o destino desses dois caminhos me levaria sempre a um caso de amor platônico e desenfreado. ”

Mary Cast

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s