Contos, livros e poesias

Relatos de Histórias de Terror.

O Quarto ao Lado

 

” Eu sempre achei que a casa para a qual eu e meu marido havíamos nos mudado, no ano de 1994 era assombrada, no início pensei que os acontecimentos como ouvir vozes e passos a noite, quando Hamilton não estava em casa, fosse alguma coisa de minha mente.

Entenda, eu estava passando por um trauma, faziam-se alguns meses desde um acidente em nossa antiga residência, onde meu bebê recém nascido caiu de seu berço e veio a falecer. Eu entendo que estava passando por um momento triste.

Mais nem mesmo isso iria me deixar a ponto de ser considerada louca ao me mudar para aquela casa. Nos dois primeiros meses as coisas estavam bem, eu não me sentia mal, nem Hami, como chamava carinhosamente meu esposo, havia começado a mudar seu humor, antes daquela casa ele era um homem alegre e bondoso.

Mais depois do terceiro mês ele começou a ficar distante, raramente dormia, e dizia ter visto alguém em um dos quartos vazios. Ele também tinha ficado violento. As vezes eu sentia que ele fazia rondas pela casa a noite, como se procurasse algo ou alguém.

Hami sempre confiou em mim e raramente tinha crises de ciúmes. Mais depois de um tempo ele dizia coisas sem sentido, e falava sozinho em seu escritório a noite. Era como se coversasse com alguém.

Eu sinceramente sentia que sua mudança era devido a casa. Ele não era assim antes de nos mudarmos para aquela casa.

Eu sentia calafrios quando estava só, e as vezes até sentia que era observada enquanto dormia, sempre tive a sensação de que havia alguém dentro de nosso quarto, presenças que eu não conseguia ver, assim como sentia que alguém dormia no quarto ao lado.

Um dia ouvi passos e o barulho de coisas sendo arrastadas, pensei que fosse apenas minha imaginação já que o quarto ao lado do meu estava completamente vazio.

Minha irmã que dizia ver espíritos e morava na cidade mais próxima nos visitou umas poucas vezes, em sua última visita ela me alertou que a casa era mal assombrada e que uma família havia morrido no local.

Uma tragédia. Sinceramente eu não quis acreditar, mesmo sentido os calafrios e a sensação de está sendo observada. Mais decidir acreditar na noite em que fiquei sozinha em casa.

Tudo começou na noite em que meu marido se atrassou devido ao trabalho, chovia forte naquela noite, e o trânsito estava horrível, eu estava na sala, assistindo TV, eram quase dez da noite quando ouvi algo bater no andar de cima, pensei ser a janela do quarto batendo por causa do vento, subi para o meu quarto e realmente me deparei com a janela aberta.

A fechei e enquanto passava por um dos quartos de hóspedes, ouvi um rangido e depois um choro. Eu sempre mantive aquela porta aberta, ela me lembrava a porta do quarto de meu pequeno Harold, mais meu esposo a trancava, e ficava irritado as vezes.

Certa vez ele me perguntou se eu havia deixado alguém entrar em casa, dizia ter sentindo o cheiro de uma fragrância masculina. Mais claro, interpretei aquilo como mais uma de suas crises de ciúmes já que ele estava bêbado.

Eu não queria acreditar naqueles acontecimentos apontados por Sonia, mais depois daquela noite, tudo mudou.

E naquela noite eu descobrir o por que. Quando abrir a porta o que vi me deixou perplexa e apavorada. Eu não sei se aquilo era uma ilusão, se era realmente uma assombração, mais o que vi era assustador.

Havia uma mulher idosa ensanguentada em uma cadeira de balanço próxima a janela, ela tinha sido assassinada e seus olhos arrancados estavam no chão. E ao seu lado havia um jovem pálido e segurando uma faca.

Seus olhos estavam cheios de raiva e ódio, havia uma mulher jovem e ensanguentada próxima a idosa, ela estava grávida. Alguém gritava e empurrava a porta de meu quarto, vozes pediam por ajuda enquanto um cheiro de algo queimado vinha do quarto.

Com medo e assustada me afastei rapidamente do quarto, me segurando para não gritar. Ouvi um grito e então o homem com a arma se virou, soltou a faca e veio gritando em minha direção, fechei a porta e sai correndo enquanto as coisas se moviam, quadros caiam das paredes, as luzes acendiam e apagavam freneticamente. Como não conseguia abrir a porta quebrei uma das janelas e sai para fora e corri para a casa dos vizinhos.

Onde fiquei sabendo da história daquela casa e o que realmente havia acontecido, um jovem com problemas mentais havia matado o próprio pai ao vê-lo matar sua mãe, depois tinha matado a avó que descansava em uma cadeira de balanço, e a irmã mais nova que estava grávida.

Depois que meu marido voltou para casa e soube o que havia acontecido, alugamos uma casa próxima a de minha irmã ainda naquela noite e no dia seguinte começamos os preparativos para a mudança.

Anos depois ouvi minha irmã conta que alguém havia incendiado a casa depois de presenciar o mesmo horror que eu havia presenciado. Eu me recuperei de meus problemas e meu marido voltou ao normal assim como nossas vidas. Mais embora eu tenha tentado, ainda hoje me lembro daquele dia, e ainda rezo para que deus conforte aquelas pobres almas. ”

 

👻👻👻

A obra acima é mera ficção, nada aqui é real, o relato foi baseado apenas em minha imaginação, qualquer semelhança com locais e nomes de personagens é mera coincidência.

Lembrando que plágio é crime. Crie sua própria história.

Beijos, Mary Cast.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s