Sem categoria

CONTOS DO TERROR: FANTASMAS VOL. I ( ESPECIAL DE HALLOWEEN )

23f3777a22f10d32ee7004483588f385 

                                                 O FANTASMA DO JARDIM

Era uma noite de Halloween fatídica aquela de 1994 no condomínio Felton, onde Barry e sua família os Morrison, haviam se reunido para uma pequena comemoração ao seu aniversario que por coincidência era naquele dia, 31 de outubro. Entediado com as risadas, e as conversas toscas dos adultos, o pequeno Adam e a jovem Monica haviam se retirado da casa, depois de vagarem pela biblioteca empoeirada, brincarem com o teclado do piano de calda na sala da lareira, e comido algumas guloseimas na cozinha.

Depois haviam apostado uma corrida ate o enorme jardim, onde haviam algumas estátuas de anjos e ate mesmo uma gárgula, o velho barry gostava daquele tipo de coisa, tinha um porão com algumas velharias, uma garagem com carros e motos antigos, as vezes achava aquela casa um pouco apavorante, principalmente por que uma das empregadas mais antigas havia relatado ter visto o fantasma da falecida filha de barry andando no jardim, com uma abóbora nas mãos, uma fantasia de bruxa toda ensanguentada, segundo a empregada, alguém havia lhe feito uma coisa ruim, e a assassinado ali, no lado norte do jardim, em uma parte escura, com pedras que levava a um pequeno lago, e umas roseiras, barry a encontrara sentada em uma pedra, com um pequeno punhal na mão esquerda, e o olho do gato de estimação de sua irmã Doroteia, na mão direita, o gato estava morto em seu colo, ela havia feito aquilo depois de uma discussão com a irmã mais nova, mais como morrera era um verdadeiro mistério, fora encontrada com a garganta cortada, sangrando, um rastro de sangue que se espalhava pelo jardim, como uma trilha vermelha, o caso nunca fora solucionado, o velho barry quase morrera de desgosto, a filha caçula se mudara para paris, e a casa nunca mais fora a mesma.

Depois daquele dia, os empregados começaram a relatar comentários sobre barulhos, vultos e coisas se movendo a noite, principalmente na noite anterior a noite em que ocorrera o crime, assim como um rastro de sangue próximo ao lago, manchas de sangue nas rosas do jardim, e uma canção, uma canção do Kansas, Dustin in the wind, a mesma que ele havia ouvido tocar na noite em que chegara ali dois dias antes.

Sempre soube que aquilo era apenas uma histroia pra fazer medo as crianças para que não ficassem acordadas ate tarde, sua mãe dizia que era uma historia e sempre pedia que esquecesse o corrido. Não tinha medo de historia de terror.

Ele e a pequena Monica haviam decidido caminhar ate o local do suposto assassinato, tinham vagado pelo jardim, a procura de algo que tornasse a historia verdadeira, mais no haviam visto nada, nada que não fosse uma abóbora aproximo a uma estátua de cupido, um gato negro próximo a uma roseira, o cantar dos insetos noturnos, a lua cheia no céu com poucas nuvens e uma coruja cantando em uma arvore, Monica havia pedido que voltassem, estava com medo, mais ele estava intrigado com o caso, ” a Monica, não seja medrosa, a histroia não é verdade. ” disse enquanto caminhavam até o lago, um arrepio trespassou seu corpo, levantnado os pelos da nuca, mais ainda assim insistiu em caminhar.

Se não fosse por Monica caminhando logo atas dele tinha certeza de que estava sendo seguido, mais não estava com medo, principalmente por que não havia nada ate ali.

” Esta vendo meia noite, e nada aconteceu, podemos voltar? ” disse Monica e ele inspirou fundo antes de sorrir e darem meia volta, não havia nada além do lago, e da pedra grande, um vento frio balançava as roseiras quando os dois adoentes começaram a se afastar do lago, então algo lhes chamou a atenção, um grito algo e triste ecoou por todo o  jardim, fazendo com que os insetos silenciassem, o som de um gato miando fez com que olhassem para taras e eles viram um gato preto correr em sua direção sangrando de um olho, miando de dor, a abobora que antes haviam visto agora estava manchada de sangue, com uma careta horrível desenhada em um lado, assustados os dois começaram a correr na direção da casa, pisando em algo vermelho, tropeçando em pequenas pedras, a pequena Monica, gritando e chorando, o coracao lacerado, então ardam notou alguém parado próximo a uma roseira e sorriu, era uma chovem fantasiada de bruxa, com cabelos longos e negros.

E quando ele parou ao lado de sua irmã, algo terrível fez com que se afastassem e segurassem as mãos uns do outro. A mulher parada a sua frente parecia um cadáver, a fantasia rasgada, sangue escorrendo em seu corpo, segurava uma faca em uma das mãos, e um olho de gato na outra, a garganta sangrando, emitia um grunhido fraco e assustador, que o fez paralisar de medo assim como sua irmã.  Nunca pensara que aquela historia fosse realmente verdade, que a mulher morta no jardim existia, e nem que um dia seus olhos veriam algo tão cruel e horrível.

tentou correr assim como sua irmã mais era como se estivessem hipnotizados, paralisados de medo. Lágrimas rolaram em sua face enquanto a jovem vinha em sua direção, grunhido e escorrendo sangue pelos cantos da boca. Com o coracao acelerado e apavorado o jovem apenas segurou a mão de sua irmã e gritou…

 

Joice a filha mais nova do aniversariante da noite, havia reparado na falta dos filhos e decidido procurar, os procurara por toda a casa, mais não os encontrara, então decidiu procurar no único lugar onde não havia procurado, no jardim, não caminhava pelo jardim desde a morte de sua irmã. Mais havia decido procurar seu filho e sua filha, não tinha o que temer, sua irmã havia se suicidado, e não acreditava em fantasmas.

mais ao abrir a porta que levava ao jardim, um grito rompeu em sua garganta, fazendo com que todos olhassem em sua direção, todos ficaram chocados e imóveis, na entrada da casa, na soleira da porta, próximo a um gato cujo o olho havia sido arrancado, sangrava e miava de dor, uma trilha de rosas vermelhas logo atrás, como uma trilha de sangue no luar da lua cheia, os corpos ensanguentados das crianças um ao lado do outro, e no meio, entre as crianças, uma abobora, com olhos e boca desenhados, aquela abobora fora a mesma que dera de para sua irmã, vinte e cinco anos antes, horrorizada  Joice gritou e caiu perante os corpos enquanto o velho barry e os convidados a olhavam horrorizados e em desespero… então ela olhou para a frente quando uma risada malévola ecoou ate ela, e ela viu o fantasma de uma irmã desaparecer na escuridão.

 

” A HISTORIA ACIMA NÃO E REAL, QUALQUER SEMELHANÇA ENTRE PERSONAGENS, LUGARES E NOMES E MERA COINCIDÊNCIA. PLAGIO É CRIME. O CONTO FAZ PARTE DE UMA COLETÂNEA DE CINCO CONTOS DE TERROR ESCRITOS POR MIM MESMA E QUE EM BREVE ESTAREI PUBLICANDO NO WATTPAD. A OBRA A SEGUIR É UM BÔNUS DO LIVRO, UM ESPECIAL DE HALLOWEEN. ”

MARY CAST.

 

Free stock photo of light, night, dark, party
O HALLOWEEN  É AMANHA, VISTA  SUA FANTASIA E VÁ SE DIVERTI.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s